Offside
Lado B

Fomos ao teatro com o Rúben Moreira.

Corporate

Um olhar sobre nós na voz dos nossos parceiros - Testemunho da Seedstars, pela voz de Pedro Gomes.

Fora de Série

"O facto de me terem proposto para Fora de Série vem apenas provar que estou a seguir o caminho certo, dando o melhor de mim. Aliás, um dos meus lemas de vida é “Se for para ser feito, ao menos que seja bem feito”. Diria que estou a cumprir!", António Barbosa (CPES)

Pensar Sério

"Confesso que no início sentia-me um 'peixe fora de água', não percebia a terminologia utilizada e a dinâmica era bastante diferente do que estava habituada. Eu costumava falar de “emoções”, “sentimentos” e “comportamentos” e não de “sistemas”, “redes”, “algoritmos”... Susana Rodrigues (C-BER)

Galeria do Insólito

As nossas colegas secretárias de um certo Centro têm a ambição (legitima, diga-se) de educar os colaboradores para que façam os seus pedidos atempadamente e não peçam uma viagem de avião para dali a 1 hora, um veículo alugado para o minuto seguinte ou um relatório para agora mesmo...

Ecografia

BIP tira Raio X a colaboradores do INESC TEC...

Novos Doutorados

Venha conhecer os novos doutorados do INESC TEC...

Novos Colaboradores

Em fevereiro, o INESC TEC recebeu 33 novos colaboradores. Conheça os seus rostos.

Cadê Você?

A melhor forma de transferir tecnologia é transferir pessoas.

Jobs 4 the Boys & Girls

Referência a anúncios publicados pelo INESC TEC, oferecendo bolsas, contratos de trabalho e outras oportunidades do mesmo género...

Biptoon

Mais cenas de como bamos indo porreiros...

Subscrever o BIP
 

Pensar Sério

Uma Psicóloga no INESC TEC

Por Susana Rodrigues*

O meu nome é Susana Rodrigues e venho fazer uma pequena alusão à minha experiência aqui no INESC TEC.

Contextualizando, a minha área de formação é Psicologia, com especialidade na área de Clínica e Saúde. Antes de chegar aqui ao INESC TEC exerci vários anos como psicóloga em contexto clínico. Entretanto surgiu a oportunidade de ingressar no doutoramento no âmbito de um projeto europeu na área do stress, coping e engagement em profissionais de risco, pela Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade do Porto (FPCEUP). Pela transversalidade do projeto e por integrar uma equipa interdisciplinar, tive como co-orientador o professor João Paulo Cunha, responsável do C-BER.

Deste modo, desde 2015 que integro esta equipa e naturalmente comecei a comparecer às reuniões semanais do grupo. Confesso que no início sentia-me um “peixe fora de água”, não percebia a terminologia utilizada e a dinâmica era bastante diferente do que estava habituada. Eu costumava falar de “emoções”, “sentimentos” e “comportamentos” e não de “sistemas”, “redes”, “algoritmos”... Mas por outro lado o clima era informal, agradável e descontraído, e a forma genuína e apaixonante como se discutiam os assuntos despertou-me uma enorme curiosidade e vontade de saber mais.

Todos participaram de forma positiva neste meu processo de integração e tiveram um papel facilitador nas aprendizagens que tive de fazer. Tenho aprendido imenso neste ambiente interdisciplinar e sinto igualmente um interesse nas temáticas da psicologia por parte dos colegas, o que é bastante gratificante para mim.

Neste momento integro o projeto “VR2Market: Desenvolvimento dum Produto para Monitorização Móvel e Vestível da Saúde de Profissionais de Primeira Resposta e de outras Profissões de Risco” liderado pelo Professor João Paulo Cunha, mantendo a anterior linha de investigação do meu doutoramento.

A título de exemplo, a análise do stress (uma das variáveis que investigamos) do ponto de vista da Psicologia é essencialmente baseada em relatos pessoais, subjetivos e naturalmente enviesados pelas crenças e experiências das pessoas, traços de personalidade e até do próprio contexto, o que torna o stress um conceito bastante complexo. Como forma de dar maior clareza e objetividade aos dados e ajudar a quantificar uma variável tão complexa como o stress, utilizam-se complementarmente aos indicadores psicológicos, medidas fisiológicas e recolhem-se dados em contexto e tempo real.

Este trabalho só tem sido possível com a colaboração de todos, contando com uma equipa de engenheiros biomédicos, informáticos e os resultados têm sido surpreendentes. Acredito que esta informação pode ajudar na prevenção dos riscos psicossociais e no desenho de intervenções de gestão de stress mais direcionadas e eficazes.

Termino assim, fazendo referência ao INESC TEC no geral, salientando a diversidade não só cientifica, mas também cultural e étnica. A partilha diária e troca de histórias, vivências e aprendizagens torna esta instituição mais do que um mero local de trabalho, um local de experiências e desafios.

*Colaboradora no Centro de Investigação em Engenharia Biomédica (C-BER)