Offside
Lado B

Patrícia Gonçalves é voluntária na Associação Pata Vermelha.

Corporate

Um olhar sobre nós na voz dos nossos parceiros - Testemunho da Tekever, pela voz de Sofia Fernandes.

Fora de Série

"O que mais me motiva é a equipa fantástica do controlo de gestão em que estou inserida, pois somos mesmo um equipa e trabalhamos todos com o mesmo objetivo. Todos os dias tenho vontade de vir trabalhar." Bárbara Maia, Controlo de Gestão

Pensar Sério

"Confesso que no início estava um pouco perdida dentro deste universo multidisciplinar, entretanto percebi que o INESC TEC é diversificado em termos étnicos, culturais e também no que tange as opiniões e os pontos de vista, e que aos poucos abre-se para estes novos paradigmas." Luisa Gonçalves (CEGI)

Galeria do Insólito

O caso que a seguir relatamos passou-se por ocasião da Assembleia Geral do INESC P&D Brasil, em que foi pedido a um funcionário do edifício que tirasse uma foto das pessoas participantes.

Ecografia

BIP tira Raio X a colaboradores do INESC TEC.

Novos Colaboradores

Em março, o INESC TEC recebeu 24 novos colaboradores. Conheça os seus rostos.

Cadê Você?

O INESC TEC lança todos os meses no mercado pessoas altamente qualificadas...

Jobs 4 the Boys & Girls

Referência a anúncios publicados pelo INESC TEC, oferecendo bolsas, contratos de trabalho e outras oportunidades do mesmo género...

Biptoon

Mais cenas de como bamos indo porreiros...

Subscrever o BIP
 

Cadê Você?

O INESC TEC lança todos os meses no mercado pessoas altamente qualificadas. Muitas vezes, essas pessoas vão ocupar lugares de destaque nas melhores empresas nacionais e internacionais ou optam por formar spin-offs. Como a melhor forma de transferir tecnologia é transferir pessoas, nesta secção a voz é dada aos colaboradores que se formaram no INESC TEC e agora brilham noutras empresas e instituições.

Wagner Franchin, oracle, Senior Software Engineer

  • Ano em que entrou e saiu do INESC TEC: 2008/2016
  • Centro(s) do INESC TEC com que colaborou: CSIG e CPES
  • Título(s) do(s) projeto(s) em que participou: URBIS, MERGE, InovGrid, MECOORD, RENRecep, EvolvDSO e SuSTAINABLE.

Testemunho relativo a sua experiência desde a sua saída do INESC TEC

Atualmente trabalho para a Oracle (multinacional americana), mais especificamente com MySQL que é a base de dados open source mais popular do mundo e utilizada pelos gigantes Facebook, Twitter, Google, etc. Especificando um pouco mais, meu grupo trabalha com os seguintes componentes: MySQL Replication, MySQL Group Replication, MySQL Router, MySQL Fabric e o recém lançado MySQL InnoDB Cluster. Basicamente, as tecnologias citadas tem propósitos como “Tolerância a Falha”, “Escalabilidade” e “Alta Disponibilidade” de informação, isto obtido por meio de replicação (cópia exata) dos dados em diferentes servidores.

Uma das minhas funções é desenvolver novas funcionalidades em um framework de teste distribuído de modo que seja possível a criação de novos testes para os diferentes componentes que estão em constante melhoria. Minha posição é entre os desenvolvedores e os engenheiros de qualidade, sendo que muitas vezes realizo trabalhos de projeto, desenvolvimento, revisão e automação de testes, bem como análise e registro de bugs.

Trabalho remotamente com uma equipe distribuída por diferentes países sendo Portugal, Noruega, Suécia, EUA, México, Índia e China os países com maior número de integrantes. A equipe está em  contato constante (email, chat e telefone) e algumas vezes tem que se adequar a determinado fuso horário para ter um maior proveito do trabalho e encontrar o pessoal “online”. Anualmente o grupo se reuni em determinado país para discutir idéias e traçar as diretrizes. Meu home-office oficial é no Porto, mas ultimamente estive também trabalhando do Brasil e Alemanha.

Na sua opinião como é que a sua experiência no INESC TEC ajudou no novo papel?

Em outubro de 2007 concluí o mestrado em Visualização Computacional na USP (São Carlos/Brasil) e em maio de 2008 estava de mudança para iniciar os trabalhos no projeto URBIS (CSIG). O INESC TEC me  abriu as portas para eu iniciar uma carreira fora do meu país de origem e continuar a trabalhar na minha área de formação.

Os anos que estive na unidade de energia (CPES), atuei em diversos projetos (nacionais e  internacionais) e utilizei diferentes tecnologias, linguagens de programação e base de dados, incluindo MySQL que agora ajudo a desenvolver. Tive também a oportunidade de atuar em áreas de grande futuro como veículos elétricos e energias renováveis. Foram anos de aprendizado, que somaram para minha experiência profissional e abertura de novas oportunidades.

Na sua opinião, o INESC TEC mudou em quais aspetos desde a sua saída?

Eu recebo os emails do BIP e sempre vejo as novidades quando possível. Ainda mantenho contato com algumas pessoas que trabalham no INESC e muitas vezes encontro alguém pela cidade, no shopping, no ginásio e etc. Para quem presenciou o crescimento do INESC TEC em 8 anos, é possível notar a maior  divulgação da Instituição principalmente nas redes sociais e na internet de modo geral.