Offside
Lado B

A vertente do associativismo.

Corporate

Um olhar sobre nós na voz dos nossos parceiros - Testemunho da Generg, pela voz de Miguel Mateus.

Fora de Série

"Nesses dois anos me esforcei ao máximo para desenvolver um trabalho sério, sempre preocupado com o rigor científico e metodológico." Vítor Mangaravite (LIAAD)

Pensar Sério

"Sinais dos tempos e dos novos deuses e ai de mim que vou ser excomungado, mas não me converti ao deus-mercado, nem ao deus-dinheiro.", João Ferreira (CAP)

Galeria do Insólito

Já que estamos a falar de insólitos, podia dar um livro a quantidade de pedidos estranhos que chegam aos serviços do INESC TEC.

Ecografia

BIP tira Raio X a colaboradores do INESC TEC...

Novos Doutorados

Venha conhecer os novos doutorados do INESC TEC...

Novos Colaboradores

No mês de junho entraram 15 novos colaboradores no INESC TEC.

Cadê Você?

O INESC TEC lança todos os meses no mercado pessoas altamente qualificadas...

Jobs 4 the Boys & Girls

Referência a anúncios publicados pelo INESC TEC, oferecendo bolsas, contratos de trabalho e outras oportunidades...

Biptoon

Mais cenas de como bamos indo porreiros...

 
 

Corporate

Nesta secção a voz é dada às empresas e organizações que tomaram o INESC TEC como parceiro de projetos e atividades. O bom relacionamento e o bom exemplo são ingredientes indispensáveis para que a ciência e tecnologia sirvam a sociedade com tanto entusiasmo como profissionalismo.

 

Miguel Mateus, Diretor de Sistemas de Informação e Comunicações DA Generg

  • "Importar aqui realçar o profundo conhecimento e a experiência do INESC TEC nestas matérias e o profissionalismo e objetividade como conseguiu gerir os vários interesses de todos os stakeholders, aplicando não só a teoria, mas sobretudo a sensibilidade em lidar com temas estratégicos e a mediar conflitos de interesses que necessariamente surgem quando se propõem medidas tão transversais e disruptivas."

Histórico da relação entre a empresa e o INESC TEC

A Generg é um dos maiores grupos nacionais no setor das energias renováveis que opera Centrais mini-hídricas, Parques Eólicos e Centrais Solares em Portugal desde 1988 e que conta com 489 Mw em produção em Portugal.

A relação com o INESC TEC já vem de longe, tendo começado com uma parceria no desenvolvimento do projeto Prewind, sistema que é hoje uma das referências em modelos de previsão eólica e utilizado pela maioria das empresas deste setor.

Em 2009 o INESC TEC desenvolveu um projeto de melhoria à rede wireless que interliga a maioria dos Parques Eólicos da Generg e do qual resultou um conjunto importante de conclusões e medidas que melhoraram substancialmente os débitos, a segurança e fiabilidade desta imprescindível rede de comunicações.

No seguimento deste projeto, a Comissão Executiva da Generg, em parceria com o INESC TEC, dão início em 2010 ao projeto SIG–Sistemas Integrados de Gestão, tendo por objetivo o desenvolvimento de uma arquitetura empresarial, tecnológica, aplicacional e informacional, que moldou a estratégia para as Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs) e que teve como ponto de partida a criação da DSIC-Direção de Sistemas de Informação e Comunicações, a sua missão, organização e competências.

Áreas de Negócio

Utilities - Energias Renováveis

Ano em que colaborou com o INESC TEC

2010

Título do projeto

SIG – Sistemas Integrados de Gestão 

Centro do INESC TEC com que colaborou

CSIG - Centro de Sistemas de Informação e de Computação Gráfica 

Responsáveis pelo projeto (INESC TEC)

António Gaspar, José Correia, Paulo Monteiro

Testemunho relativo ao projeto

O projeto SIG foi sem dúvida a colaboração mais marcante da parceria desenvolvida com o INESC TEC, uma vez que permitiu criar os alicerces para o desenvolvimento de TICs capazes de integrar os principais processos de negócio, perfeitamente orquestrados, numa cadeia de valor que permitiu uma leitura detalhada da atividade da Generg e na forma como as TICs a suportavam. 

Realizaram-se para cima de 50 reuniões entre fevereiro e maio de 2010 com todas as áreas funcionais da Generg, que deram origem à modelização da arquitetura empresarial nas suas várias vertentes: organizacional, negócio, informacional, aplicacional e tecnologia.

Deste projeto resultou uma visão da situação futura e um plano de ação com 14 medidas e respetivas recomendações onde se destacam: Avaliar implementação de um Centro de Despacho; Reduzir o risco organizacional e assegurar a continuidade do negócio na GENERG; Reformular infraestrutura da Sede–Servidores e Data Center; Reformular a rede nacional da GENERG; Adquirir e implementar um Software de Gestão de Manutenção; Implementar uma aplicação de gestão de produção e controlo de garantias; Agilizar a recolha de informação para o orçamento da GENERG e partilha de informação; Implementar uma camada de suporte à decisão.

De facto, é com satisfação que podemos observar que 70% destas medidas estão hoje implementadas, estando as restantes planeadas para os próximos dois anos. 

A atual Administração Executiva deu continuidade ao plano de modernização delineado no SIG, tendo nos últimos anos investido um valor muito significativo num conjunto de projetos que refundaram por completo as TICs: o reforço dos meios técnicos e humanos da DSIC, a reformulação das infraestruturas computacionais e de telecomunicações, segurança informática, um novo paradigma de um sistema ERP para suporte dos processos de negócio numa dimensão internacional e a criação de um Centro de Despacho são alguns exemplos de projetos que contribuíram para um conjunto de benefícios ao nível financeiro, quantitativo, mensurável ou observável.

Mas não só, o desenvolvimento das TICs foi ainda determinante para suportar a estratégia de internacionalização e desenvolvimento da Organização quando em 2015 a Novenergia passa a controlar 100% da Generg. De facto, os projetos de implementação do ERP SAP e Renewables Management System (RMS), sistema que suporta o Centro de Despacho, só foi possível porque houve uma visão integrada que permitiu criar uma base tecnológica capaz de assegurar o funcionamento destes sistemas, e principalmente o desenvolvimento de uma cultura que acredita que as TICs são um pilar importante para o desenvolvimento organizacional.

Testemunho sobre a parceria com o INESC TEC

O desenvolvimento do projeto SIG revelou-se de grande importância e sentido de oportunidade para todos os seus intervenientes, na medida em que preconizou uma oportunidade única de poder documentar para memória futura os processos organizacionais da Generg, seguindo um modelo teórico com a orientação da equipa do Eng. António Gaspar.

A sua concretização permitiu estabelecer um modelo futuro para o desenvolvimento das TICs e compreender de que forma se devem desenvolver os processos, as tecnologias e as pessoas numa visão holística e integrada que permita à Organização estabelecer um plano de ação para as suas TICs de acordo com a estratégia dos acionistas.

Importar aqui realçar o profundo conhecimento e a experiência do INESC TEC nestas matérias e o profissionalismo e objetividade como conseguiu gerir os vários interesses de todos os stakeholders, aplicando não só a teoria, mas sobretudo a sensibilidade em lidar com temas estratégicos e a mediar conflitos de interesses que necessariamente surgem quando se propõem medidas tão transversais e disruptivas.

Do ponto de vista pessoal, entendo que foi um momento muito especial, onde tive a oportunidade de pôr em prática e de aprender um conjunto de matérias que vão muito para além da tecnologia, e acima de tudo uma oportunidade de poder estimular uma visão estratégica para as TICs que me apoiaram de forma muito relevante na minha atividade profissional enquanto Diretor de Sistemas de Informação.

Apesar da realidade do Grupo Novenergia ser hoje diferente comparativamente a 2010, não só pela abrangência internacional, mas porque foi desenvolvendo valências internas em áreas onde antes não existia, designadamente em matéria das TICs, podemos identificar algumas medidas do SIG que não foram ainda desenvolvidas e que contamos endereçar ao INESC TEC num futuro próximo, nomeadamente a finalização de uma Política de Segurança Informática que infelizmente por uma questão de prioridades ficou inacabada.