Offside
Lado B

Fomos ao teatro com o Rúben Moreira.

Corporate

Um olhar sobre nós na voz dos nossos parceiros - Testemunho da Seedstars, pela voz de Pedro Gomes.

Fora de Série

"O facto de me terem proposto para Fora de Série vem apenas provar que estou a seguir o caminho certo, dando o melhor de mim. Aliás, um dos meus lemas de vida é “Se for para ser feito, ao menos que seja bem feito”. Diria que estou a cumprir!", António Barbosa (CPES)

Pensar Sério

"Confesso que no início sentia-me um 'peixe fora de água', não percebia a terminologia utilizada e a dinâmica era bastante diferente do que estava habituada. Eu costumava falar de “emoções”, “sentimentos” e “comportamentos” e não de “sistemas”, “redes”, “algoritmos”... Susana Rodrigues (C-BER)

Galeria do Insólito

As nossas colegas secretárias de um certo Centro têm a ambição (legitima, diga-se) de educar os colaboradores para que façam os seus pedidos atempadamente e não peçam uma viagem de avião para dali a 1 hora, um veículo alugado para o minuto seguinte ou um relatório para agora mesmo...

Ecografia

BIP tira Raio X a colaboradores do INESC TEC...

Novos Doutorados

Venha conhecer os novos doutorados do INESC TEC...

Novos Colaboradores

Em fevereiro, o INESC TEC recebeu 33 novos colaboradores. Conheça os seus rostos.

Cadê Você?

A melhor forma de transferir tecnologia é transferir pessoas.

Jobs 4 the Boys & Girls

Referência a anúncios publicados pelo INESC TEC, oferecendo bolsas, contratos de trabalho e outras oportunidades do mesmo género...

Biptoon

Mais cenas de como bamos indo porreiros...

Subscrever o BIP
 

INESC TEC colabora em solução para derrames de petróleo no mar

Utilizar microrganismos nativos que degradam o petróleo no mar é a solução proposta pelo novo projeto europeu SpilLess, coordenado pelo Centro Interdisciplinar de Investigação Marinha e Ambiental (CIIMAR) da U. Porto e que conta com a colaboração do Centro de Robótica e Sistemas Autónomos (CRAS) do INESC TEC.

De acordo com os investigadores do CIIMAR, o SpilLess - First-line response to oil spills based on native microorganism cooperation – “pretende produzir em larga escala microrganismos nativos, utilizados para biorremediação (remoção de contaminantes do ambiente através de organismos), a par das misturas de nutrientes para a sua bioestimulação (rápido crescimento)”.

No projeto vão ser também adaptados veículos autónomos não tripulados, tais como drones ou submarinos, responsáveis por transportar e libertar os microrganismos nas áreas afetadas.

De acordo com a líder do projeto, a tecnologia em causa apresenta uma nova forma de combater estas ocorrências e que pode “operar sob condições meteorológicas desfavoráveis e severas, com baixa intervenção humana” e de forma “rápida, eficiente e de baixo custo”. “Esta nova abordagem pode inclusive ser usada como uma primeira linha de resposta a derrames de petróleo associados a acidentes com navios, plataformas de petróleo, portos ou outros complexos industriais”.

Com a duração de 24 meses, esta iniciativa é financiada pela União Europeia, através do Fundo Europeu dos Assuntos Marítimos e das Pescas (FEAMP), e reúne em consórcio o CIIMAR, o INESC TEC, a Universidade de Vigo e as empresas ACSM, Biotrend e MARLO.

Credits photo: WallpaperCave.com