O «vale da morte» entre ciência e inovação

Este é o primeiro número de um BIP inovado!

Muito obrigado à equipa do BIP e ao Serviço de Comunicação por este salto de renovação e pelo impressionante trabalho quotidiano de dar respostas e desafios de comunicação à investigação e à inovação que fazemos.

O BIP muda porque no INESC TEC não muda a atitude de nos desafiarmos permanentemente a fazer melhor a nossa missão.

É precisamente sobre algo significativo que muda no nosso modelo de atividade que quis escrever neste editorial.

Em gíria de inovação, chama-se “vale da morte” à dificuldade em transformar conhecimento em produtos e serviços comercializáveis. Por todo o mundo, os países confrontam-se com este desafio do “vale da morte”, crítico para o desenvolvimento social e económico, e investem em instituições e parcerias fortes com o objetivo de o superar.

Esta ponte entre ciência e inovação fez parte da motivação para a criação do INESC TEC, e tem feito parte de uma história de sucesso, que celebrará 35 anos em 2020, no cumprimento de uma missão dual de criar conhecimento científico e transformá-lo em impacto social e económico.

Apesar de alguns casos de sucesso, como o do INESC TEC, Portugal necessita de se fortalecer neste domínio. Foi justamente para contribuir para este importante objetivo de política pública que o INESC TEC se envolveu recentemente no lançamento de diversos Laboratórios Colaborativos (CoLABs), em colaboração com parceiros académicos e empresariais.

Os CoLABs são instituições que visam explorar o conhecimento criado em instituições de investigação, aplicando-o a importantes problemas atuais e emergentes, no âmbito de grandes desafios societais. Enquanto instituições conduzidas pela procura, centradas nas empresas, e orientadas ao impacto, os CoLABs focam as suas atividades em Technology Readiness Levels (TRL) mais próximos do mercado e transferência de tecnologia. Para o INESC TEC, os CoLABs constituem, portanto, veículos complementares para novas oportunidades de I&D aplicada e transferência de tecnologia.

Os CoLABs a que o INESC TEC está associado, aprovados no âmbito de processos competitivos com avaliação internacional independente, são atualmente oito. Estão já criados e em fase de arranque o B2E (Bioeconomia Azul), o ForestWISE (Gestão Integrada da Floresta e do Fogo), o Vines&Wines (Vinha e Vinho) e o Vortex (Sistemas Ciber-físicos e Cibersegurança), e foram recentemente aprovados o BUILT (Ambiente Construído do Futuro), o CSESI Hub (Smart Energy Services Innovation), o InovFeed (Produção Animal Sustentável) e o VG CoLAB (Vasco da Gama – Armazenamento de Energia).

O nosso envolvimento com estes CoLABs irá nos próximos anos traduzir-se numa vertente nova da nossa atividade, em cujo âmbito poderemos aprofundar a investigação orientada às respetivas áreas de aplicação, intensificar a partilha e a valorização do conhecimento, e contribuir para a criação de emprego altamente qualificado para o nosso talento mais jovem.

Representará, seguramente, uma oportunidade com grande potencial para fortalecermos o nosso posicionamento como instituição de interface de excelência, e contribuirmos para tornar o nosso país mais bem-sucedido nos seus esforços para superar o “vale da morte”.

Contamos com todos para este trabalho de enorme importância!

João Claro, Presidente da Comissão Executiva do INESC TEC

Next Post
PHP Code Snippets Powered By : XYZScripts.com
EnglishPortugal